Pedro Luiz Pereira de Souza

Depoimento gravado em 15/7/2015

Bloco 1

O declínio da escola de arquitetura FAU-USP / O contato com Wollner / A entrada na ESDI / Uma escola centrada em personalidades /O livro ESDI biografia de uma idéia / Os quatro expoentes da história da ESDI / Outras presenças marcantes: Renina Kats, Daisy Igel, Decurtins.
Veja o vídeo


Bloco 2

O nome da Escola (Design X Desenho Industrial) / A opinião de Flávio de Aquino / A vocação da Escola / O processo progressista / A opção pela sobrevivência / Ulm na Der Spiegel / Carmem Portinho.
Veja o vídeo


Bloco 3

Industrialismo no Brasil / A crença no industrialismo – forma ingênua / Racionalismo e industrialismo / Definição precisa de termos / Maldonado e Gramsci / Preso a questões de racionalidade formal / Nem tudo é certo, nem tudo é ruim / Era JK / Os problemas hoje são os mesmos, mas mais agravados / Crenças universais / Indústria mudando.
Veja o vídeo


Bloco 4

Mistura de industrialismo e formalismo / Filosofia e estética / Construção dos juízos / Falta de referência filosófica no ensino do design / Aparência externa – conteúdo / Ideias diferentes, mas complementares / Aloísio Magalhães, aberto, liberal, intuitivo e sensível / Capacidade política admirável.
Veja o vídeo


Bloco 5

Governos como contratante de design / Manual do Mobiliário escolar: pesquisa aplicada, projeto normativo, adoção de critérios dimensionais, Projeto testado e aprovado / Evolução do escolar para o pré-escolar e para escolas rurais / Minimalismo real / Projetos que podem ser resolvidos localmente / Menor presença do design no âmbito do poder público.
Veja o vídeo


Bloco 6

Primeira Bienal do Design / Surgimento do IDI – Instituto de Desenho Industrial, no MAM – Museu de Arte Moderna / Pesquisas aplicadas / Museus dependentes do poder público / Ruptura ESDI – MAM / Final dos investimentos públicos / Escritório com Freddy van Camp. OCA e Escriba / Trabalhos com Grupo Moreira Salles / Da área governamental para a iniciativa privada / Maior envolvimento com o ensino / Autonomia universitária.
Veja o vídeo


Bloco 7

Projeto de um curso de design na área privada / Introdução de novas técnicas / Processo de aprendizado muito enriquecedor / Limite dado pela necessidade de gerar lucro / Retorno para a ESDI / Crença no diálogo / Mudanças de currículo / Aprendendo a negociar / Preservando a individualidade / Profundo respeito aos alunos.
Veja o vídeo


Bloco 8

Retorno de um design mais conciso, mais controlado, com grande demanda / Vulgarização (positiva) de um estilo / Mercado mais amplo / Algo mudou? A Braun era para o “consumidor esclarecido” e aquela forma que era anti-consumista é hoje um padrão do mercado de consumo / Necessidade de análise mais criteriosa / Críticas de Maldonado, na década de 70, à Braun / Compromisso do design com o mercado / Território ambíguo / Retomada de princípios básicos – inovação / “Braun x Verde” – o design foi sempre surdo para os problemas ambientais e sempre acreditou no progresso a todo custo / Não é fazer diferente é fazer menos / Pierre Clastres e a experiência dos machados com os índios – produzir mais e trabalhar menos / Pensar o avesso / Menos produtos no mundo / O produto tem que ter respeito aos hábitos de consumo / A natureza vai bem, obrigada, ela se apropria dos recursos da própria natureza.
Veja o vídeo